pesquisa

pesquizar na web, no blog Mangalarga Mangalarga, no allbreed pedigree de (todas as raças) e no pedigreequery(PSI).
Google

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

JOIA DA CHAMUSCA

Jóia

Jóia da Chamusca, como era conhecido – pois era da fazenda da Chamusca, em Carmo da Cachoeira (antiga Cachoeira de Ratis), MG, de propriedade de João Alves Gouveia, Barão de Lavras – nasceu por volta de 1867.
É muito provável que seja ele descendente direto do cavalo alemão Mortimer, pois a fazenda da Chamusca era vizinha à fazenda Atalho, de Gabriel José Junqueira, onde este reprodutor importado ficou instalado. Como o contrato firmado entre Gabriel José Junqueira e o Governo Provincial estabeleciam que o cavalo Mortimer deveria, inclusive, servir as éguas das fazendas vizinhas justifica –se a provável ascendência de Jóia.Outro indicio desta probabilidade é o caso do cavalo Jóia do Andrade, filho de Jóia da Chamusca, de propriedade de Jose de Andrade Junqueira, filho de Gabriel José Junqueira. Ou seja, da mesma maneira como Jóia da Chamusca serviu o plantel da fazenda Atalho, é bem provável que o cavalo Mortimer, importado em 1858, tenha servido as éguas da fazenda Chamusca, dando origem a Jóia.
Mortimer era um garanhão anglo-normando, importado pelos Governo Imperial e Provincial, em 1.858. Este cavalo , durante dois anos, ficou instalado nas fazendas do Atalho e Campo Belo, de Gabriel José Junqueira, localizadas em Três Corações, que faziam divisas, entre outras, com a fazenda Campo Alegre. Segundo o contrato firmado entre Gabriel José e o Governo Provincial, esse reprodutor deveria servir as éguas das fazendas vizinhas, proporcionando a recuperação das raças cavalares nacionais. Portanto, é de se deduzir que Mortimer cobriu várias éguas pertencentes à família Junqueira, com considerável influência na formação da raça Mangalarga, antes de ser transferido para a Coudelaria de Cachoeira do Campo, onde morreu.


De pelagem branca ligeiramente amarelada, Jóia, quando em liberdade, dava passos de andadura, mas quando montado tinha uma marcha trotada muito progressiva, tanto que diziam: esquipa na descida, marcha no plano, trota na subida. Ele tornou-se fundador de um importante ramo do cavalo Mangalarga, que se estende até os dias de hoje. Suas diversas linhagens, tanto masculinas quanto femininas, participam da ascendência de quase todos os atuais Mangalarga. Por duas vezes foi emprestado a Francisco Marcolino Diniz Junqueira, o Capitão Chico, da fazenda Invernada, para a reprodução. Foi pai de Vai Vem I, cavalo nascido na fazenda Favacho e avô de Vai Vem II, de criação do Cel. Francisco orlando Diniz Junqueira.
. Outro descendente de Jóia, conhecido por suas vitórias nas carreiras, foi Completo, de propriedade do capitão Chico. Certa ocasião Martinico Prado levou até a fazenda Invernada um cavalo de sua propriedade, com fama de grande corredor, para um desafio com Completo. Uma pista de cerca 500 metros de extensão foi improvisada próxima à sede da fazenda, e Completo venceu a disputa com boa vantagem.
Martinico Prado alegou ser a pista muito curta e pediu uma revanche, a ser realizada por ocasião do casamento de duas filhas do capitão Chico: Helena com Antonio Torquato Fortes Junqueira, e Genoveva, com José Frausino Junqueira Neto, nos dias 22 e 23 de abril de 1884. A cerimônia mereceu nota do jornal Província de São Paulo (atual O estado de S.Paulo) de 8 de maio daquele ano.Quanto à revanche, Adélia Diniz Junqueira Bastos descreve:

“Na grande reunião de amigos e parentes vinha a calhar uma corrida de cavalo. O entusiasmo era geral. A pista de mil metros foi feita na fazenda Espírito Santo, de Antonio Bernardino Franco. Os dois cavalos, colocados em duas paralelas aguardavam. No momento de largada, Completo, mais ágil e rápido, saltou à frente e tomou a pista do vizinho. Mais uma vez vitorioso, sua fama dilatou-se”.
DESCENDENTES DE Joia Da Chamusca
-- Joia Da Chamusca
|- Cavia (F, ) by Joia Da Chamusca
| |- Telegrama Cavia (M, ) by Telegrama Velho
| | |- Ferreira (F, ) by Telegrama Cavia
| | |- Telegrama Castanha (F, ) by Telegrama Cavia
|- Cinza I (M, ) by Joia Da Chamusca
| |- Cinza II (M, ) by Cinza I
| | |- Penitência (F, ) by Cinza II
| | | |- Braceira (F, ) by Rio Branco
| | | |- Prenda (F, ) by Montenegro
| |- Memoria II (F, ) by Cinza I
| | |- Chamusca (F, ) by Rio Branco
| |- Preta II (F, ) by Cinza I
| |- Socegada (F, ) by Cinza I
|- Joia Do Andrade (M, ) by Joia Da Chamusca
| |- Joia Do Torquato (M, ) by Joia Do Andrade
| | |- Vae Vem I (M, ) by Joia Do Torquato
| | | |- Carneirinha (F, ) by Vae Vem I
| | | |- Coração (M, ) by Vae Vem I
| | | | |- Castanhão (M, ) by Coração
| | | | | |- Princesa (F, ) by Castanhão
| | | | |- Falua (F, ) by Coração
| | | | |- Penitência Castanha (F, ) by Coração
| | | |- Vae Vem II 1895 (, ) by Vae Vem I
| |- Marechal (M, ) by Joia Do Andrade
| | |- Angahy Do Marechal (F, ) by Marechal
| |- Mormon I (M, ) by Joia Do Andrade
| | |- Mormon II (M, ) by Mormon I
| | | |- Rápido (M, ) by Mormon II
| | | | |- Jacaré (M, ) by Rápido
| | | | | |- Kaizer (M, ) by Jacaré
| | | | | | |- Marquesa (F, ) by Kaizer
|- Joião (M, ) by Joia Da Chamusca
| |- Joia (F, ) by Joião
|- Lontra (F, ) by Joia Da Chamusca
|- Manchada (F, ) by Joia Da Chamusca

3 comentários:

leonor rizzi disse...

Os cachoeirenses agradecem. Li seu trabalho em http://carmodacachoeira.blogspot.com
TS Bovaris,deu uma chamada no inventário de Antonio Dias de Gouveia, pai de João Dias de Gouveia - Barão de Lavras, proprietário de Jóia da Chamusca.

Gilberto Diniz Junqueira disse...

Nossa gostei muito.
Gostaria de mais fotos e dados da fazenda chamusca e de carmo da cachoeira.
Meu irão Francisco Marcolino já esteve ai pesquisando a cerca de dez anos atraz.
que bom que gostaram do blog

leonor disse...

Gilberto.
O trabalho e extenso e, homeopaticamente iremos passando os dados. Contamos com o acompanhamento de todos. Gratidão.